"AMAR É QUANDO A ALMA MUDA DE CASA..."
MÁRIO QUINTANA.

terça-feira, 10 de julho de 2007

SOLIDÃO


SOLIDÃO DOENÇA SEM CURA
MURO ALTO QUE NINGUÉM PULA
PORTA ENTRE-ABERTA
POR ONDE NINGUÉM ENTRA
MAL ESTAR SÚBITO E INTENCIONADO
UM NÃO AMAR PREMEDITADO
POR UM CORAÇÃO QUEBRADO
UMA ILUSÃO DESFEITA
UM AMOR DESENCONTRADO
UM MAL QUE INCONCIENTE DESEJA
SER COMPREENDIDO E SER TRATADO
E SEM PRESSA ESPERA
POR OUTRA ALMA PERDIDA
SEM RUMO NA VIDA
SOFRENDO DO MESMO MAL
PARA QUE AS DUAS JUNTAS
RECOLHAM OS CACOS
COLEM OS PEDAÇOS
E AOS POUCOS CUREM A FERIDA
FECHEM A CICATRIZ
PARA QUE POSSAM ENTÃO
FINALMENTE SER FELIZ..

2 comentários:

ZezinhoMota disse...

Tão lindo poema e ninguém vir postar e deixar aqui expresso o quanto és valiosa na tua escrita de poeta...

Felicidades hoje e sempre...

Bjnhs de gratidão por seres minha amiga.

Porto-Portugal

ZezinhoMota

A Poesia do Zezinho http://zezinhomota1.blogspot.com

Paula Moraes disse...

Obrigada Zezinho, é sempre bom tê-lo por aqui...Felicidades a vc tbm... =)