"AMAR É QUANDO A ALMA MUDA DE CASA..."
MÁRIO QUINTANA.

domingo, 6 de junho de 2010

Vagando...

Meus pés nem sentem o chão
o caminho não pode ser em vão
Escuridão, solidão
sinto-me indo pra lugar nenhum
Esperar, acreditar 
busco nas pegadas razão para caminhada
alento, acalento
nada parece ter sentido agora
meus passos continuam como outrora
Esperança, mudança
mas, nada muda no final
é preciso recomeçar, continuar
ir para algum lugar
mudar a cena ou mudar o filme
aguardo, cansaço
desisto?  Insisto?
mudo o capítulo.

2 comentários:

eliane disse...

amei seu blog parabens

eliane disse...

ola me add ai cristyanelidy@hotmail.com